.

.

About

"À Joaquim, com carinho"

Posted by Nóis de Teatro On 18:54


1985 - o primeiro Joaquim engravidou uma jovem mulher na periferia de Fortaleza e depois, como de costume na época, a abandonou! Nunca deu nenhum tipo de suporte. Mais uma vez, como de costume, aquela jovem mulher teve que enfrentar o mundo pra conseguir cuidar daquele recém nascido. Então lembrem-se dela. Com todo amor do mundo, eu tô falando da minha mãe solteira. Não só dela, mas de várias que habitam a periferia dessa cidade.

2001 - o segundo Joaquim surgiu quando entrei na primeira sala de ensaio de teatro da minha vida. Apaixonado, descobria ali um mundo através do olhar dele e de toda uma galera massa no Ensino Médio. É, pode ser verdade que se ele não tivesse me 'convidado' pra me retirar da Cia Atos e Retratos, talvez o Nois de Teatro nunca tivesse nascido. O tempo passa e este homem continua de muita importancia: para mim e para vários artistas da periferia de Fortaleza. Então lembrem-se dele. À Joaquim Araújo, com carinho.

2014 - o terceiro Joaquim poderia ser ficção mas é Teatro do Real. Ele poderia ser só o personagem que faço em 'Todo Camburão tem um pouco de navio negreiro", mas não: todo dia ele é assassinado nas periferias desse país por uma polícia e uma política altamente militarizada. Então não esqueçamos dela: da juventude preta e periférica que tenta viver pelas ruas da cidade.

2018 - o mais novo Joaquim nasce junto com esse livro. O primogênito de Bruno Sodré e Doroteia Ferreira vem pra nos lembrar de vida, da necessidade de estar vivo e não ceder à sordidez ácida do tempo que estamos vivendo. Joaquim é um novo marco para Nóis. Ele nasce aos 16 anos de Nóis de Teatro, lembrando que a metade de nossas vidas nós já passamos nesse projeto. Ele vem pra renovar e dizer: muito ainda há a ser feito. Apoema!!!!

Gratidão, Joaquim.

Com carinho, 

Altemar Di Monteiro

LANÇAMENTO DO LIVRO "CAMINHARES PERIFÉRICOS"

Posted by Nóis de Teatro On 11:36






No próximo dia 24, domingo, a Associação Artística Nóis de Teatro estará realizando o lançamento do livro “Caminhares Periféricos – Nóis de Teatro e a potência do Caminhar no Teatro de Rua Contemporâneo”, publicação celebrativa dos 15 anos do grupo.

[Caminhares Periféricos]
O coordenador do Nóis de Teatro, Altemar Di Monteiro, nos apresenta neste livro publicado pela Editora Piseagrama um belo desdobramento da trajetória deste importante grupo do teatro cearense. Ao nos conduzir pelo percurso da montagem “O Jardim das Flores de Plástico”, Monteiro nos aponta as marcas poéticas, políticas e periféricas do “Nóis”, no contexto do teatro de rua contemporâneo. Com texto orientado pelo Prof Dr Héctor Briones a partir do mestrado em Artes / PPGARTES-UFC, arte, política e caminhar se enlaçam neste livro de modo perturbador, nos convidando e até mesmo instigando a entrar na periferia. O leitor irá caminhar por ruas onde vibra a potência artística do Nóis de Teatro, adentrando a um intensivo caminho de resistência, dando a perceber outras cidades nas nossas cidades.

[Programação]
17h – Recepção dos convidados com Merenda 
17h30 – Leitura Performativa / Cortejo pelas ruas da Granja Portugal 
Com Brincantes de São Francisco, Maracatu Nação Bom Jardim, Carnaval no Inferno, Nóis de Teatro e convidados 
18h30 – Confraternização com DJ Sapatinha

[Adquira seu exemplar] Pague quanto puder. Valor mínimo: R$ 20,00 (preço de custo). O valor arrecadado será destinado para a próxima montagem do Nóis de Teatro. Contribua com essa campanha.

[Sede do Nóis de Teatro] Av. José Torres, 1211 – Granja Portugal / Fone: (85) 98746.8512

[Confirme presença] no evento dofacebook

Apoio: Prefeitura de Fortaleza Projeto apoiado pelo Edital das Artes de Fortaleza 2016 – SECULTFOR – Lei nº 10.432/2015

NÓIS DE TEATRO E CENTRO CULTURAL DO GRANDE BOM JARDIM: Uma parceria que movimenta a comunidade

Posted by Nóis de Teatro On 11:29


           




Atuando na periferia do Grande Bom Jardim há dezesseis anos, o Nóis de Teatro vem desenvolvendo ações culturais na comunidade, trazendo um olhar especial para o que é produzido na periferia. Durante esse tempo, o Nóis de Teatro tem observado como o Bom Jardim vem desenvolvendo suas potencialidades artísticas. Neste tempo, o Nóis viu surgir no território, no ano de 2007, onze anos atrás, o Centro Cultural do Bom Jardim.

Desde então, diversas foram as parcerias entre o Nóis e o CCBJ. De forma mais objetiva, essa parceria vem se consolidando desde 2013, com a oferta da oficina de teatro para crianças, que o Nóis ministrou em sua sede, tendo como professoras Kelly Enne Saldanha e Edna Freire.

No ano de 2018, a parceria se estreitou ainda mais. Além da continuidade das oficinas de teatro para as crianças, o Centro Cultural do Grande Bom Jardim iniciou o curso de interpretação e criação cênica, na qual Henrique Gonzaga e Kelly Enne Saldanha foram convidados a serem professores orientadores. Durante esse processo do curso, muito foi produzido e desenvolvido. O olhar sobre a periferia, o teatro político e social que faz parte da estética do Nóis de Teatro, vem se destacando na contribuição que trazem esses professores orientadores.

Como processo de culminância, em junho, foram apresentados trabalhos tanto da turma do Curso de Interpretação e Criação Cênica (CICC) e da Oficina de Teatro Para Crianças. Da turma do CICC, foi apresentado um fragmento do texto de Brecht “A Decisão” e da oficina das crianças foi apresentado “A Água da Vida”, texto livremente inspirado em contos populares.

O resultado não poderia ser outro. Foi lindo e emocionante. Os cursos continuam e muito mais será apresentado até o fim do ano. Sigamos!!!

CAMINHOS

Posted by Nóis de Teatro On 10:51


Por Kelly Enne Saldanha





O Nóis de Teatro realiza, no Grande Bom Jardim, periferia de Fortaleza, oficinas de teatro para crianças. Desde 2013, mais de 120 crianças foram atendidas com diversos processos formativos. Muitas crianças, que hoje já estão na juventude, passaram por Nóis, quer seja vendo um espetáculo, participando de uma oficina ou mesmo vendo o Bonde da XXIII (turma infantil que mora na Rua XXIII de Junho e vão em grupo para a oficina de teatro) passar em direção a sede.

Revisitando imagens antigas relacionadas a oficina de teatro, me deparei com um mosaico de chinelas que comumente ficam a porta de entrada. O pé no chão é um hábito que construímos nesse nosso segundo lar. Ao adentrar a sede aos pulos e gritos, as crianças experimentam ali, um gostinho breve de liberdade.

Porém, ao rever a imagem das chinelas na sede, minha lembrança levou-me para a chacina das Cajazeiras, onde um amontoado de chinelas também circulou pelas redes sociais. E não pude conter a inúmeras relações e significados que as duas imagens lançam para mim. De tão inquieta que fiquei, me pus a escrever. Como pode, duas imagens tão parecidas e tão diferentes? Os caminhos traçados por cada pisante das imagens são inúmeros. Mas quais semelhanças? Quais diferenças? Onde as histórias se cruzam?

Cajazeiras e Bom Jardim ficam em opostos na cidade de Fortaleza e, apesar da distância, não apresentam muitas diferenças. Quantas e quais oportunidades esses grupos descalços tem ou tiveram? Que futuro estamos construindo para nossos jovens?

Oportunizar atividades culturais para a comunidade é algo que o Nóis de Teatro realiza em seu trabalho, que brevemente completará 16 anos. Nesse tempo, diversos caminhares foram realizados e nessa oportunidade que é ensinar e aprender, esses cinco anos de atividades voltadas para esse público tem sido de grande importância para o trabalho que realizamos na comunidade. Para que mais chinelas como a primeira imagem sejam geradas. Sigamos!

RODA DE CONVERSA TEATRO E CIDADE: MODOS DE ESTAR VIVO

Posted by Nóis de Teatro On 14:52




A cidade é o nosso labirinto mais íntimo e compartilhado, onde escolhemos viver, sobreviver, re-existir, amar, festejar, ocupar e rir juntas na cara do perigo, e é por tudo isso, o lugar em que também escolhemos para praticar a alteridade radical que o teatro e suas liminaridades nos convocam. A rua, território em disputa, é o que nos interessa mais e, por isso, nós do Terreiro de Pesquisa queremos estar/praticar/pensar conjuntamente sobre as táticas dos grupos que por aqui e acolá produzem modos de estar vivo em tempos de catástrofes programadas, na troca dos saberes das encruzilhadas que nos abrem e que nós abrimos na cidade. Vamos (res-pirar) juntas?

Bate papo com os grupos:
Espanca! (MG); 
Espaço Comum Luiz Estrela (MG), 
Bacurinhas (MG), 
Toda Deseo (MG), 
Nóis de Teatro (CE) 

Onde? No espanca!

Mediação: Thálita Motta

____________________________________________________
Terreiro de Pesquisa: Clóvis Domingos, Thálita Motta, Altemar Di Monteiro, Joviano Mayer e Ana Rita Nicoliello

[NOTA DE ESCURECIMENTO]

Posted by Nóis de Teatro On 10:56


Aos colaboradores do financiamento coletivo no Catarse,

Vimos por meio desta nota, primeiramente agradecer às 37 pessoas que contribuíram com a nossa campanha no Catarse, além de comunicar sobre a finalização do prazo para o financiamento coletivo. Conforme o valor arrecadado, infelizmente não conseguimos o necessário para realizar a temporada do espetáculo "Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro" no mês de abril. Com apenas 11% arrecadado na campanha, fica inviável custear passagens da equipe + transporte de cenário + hospedagem + alimentação, situação que tem nos feito pensar em outras estratégias de mobilização de parcerias para a realização deste projeto ainda neste ano.

Tratando-se de uma campanha de financiamento coletivo no modo "flexível" onde, independente da meta, recebemos o valor arrecadado, informamos aos colaboradores que o recurso mobilizado irá somar-se a outras estratégias de mobilização de recursos. Ainda assim, reafirmamos nosso compromisso com todas as recompensas elencadas na campanha e os prêmios (tais como livros e camisas) serão disponibilizados até junho de 2018, conforme acordado.

De todo modo, na data mensurada para a viagem (08 a 16 de abril) o Nóis de Teatro estará em Belo Horizonte para a realização de encontros com coletivos de teatro da cidade (confira agenda aqui), abertura de processo do espetáculo "Despejadas" na Segunda Preta, intercâmbio com o Coletivo Luiz Estrela, além de roda de conversa com artistas e pesquisadores de teatro de rua na cidade. Essa etapa será de grande importância para que possamos somar forças para o projeto de levar "Todo Camburão" para a cidade e contribuir para a difusão do teatro de rua cearense.

Agradecemos a todis pela confiança no nosso trabalho e na seriedade de nossas ações!

Axé! Evoé!

AGENDA NÓIS DE TEATRO - DEZEMBRO DE 2018

Posted by Nóis de Teatro On 10:22

De 06 a 09 de dezembro, quinta a domingo, às 19h
Local: São Luis - MA

Apoio: Ministério da Cultura e Petrobras



AGENDA NÓIS DE TEATRO - NOVEMBRO DE 2018

Posted by Nóis de Teatro On 10:21


De 15 a 20 de novembro, quinta a terça, às 19h
Local: Caixa Cultural São Paulo
Praça da Sé, 111 - Sé, São Paulo - SP, 01001-000